Ir para conteúdo principal
  
Registar Organismo
A carregar.
ver tudo

Código da Oferta:
OE201902/0228
Tipo Oferta:
Procedimento Concursal de Regularização
Estado:
Expirada estado
Nível Orgânico:
Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Vínculo:
CTFP por tempo indeterminado
Regime:
Carreiras Gerais
Carreira:
Técnico Superior
Categoria:
Técnico Superior
Grau de Complexidade:
3
Remuneração:
1.201, 48
Suplemento Mensal:
0,00 EUR
Caracterização do Posto de Trabalho:
Referência A – Técnico Superior, área de Comunicação: entre outras atribuições específicas destaca-se a criação, revisão, tradução e gestão de conteúdos institucionais para site, redes, projetos editoriais, a redação de noticias, a revisão e tradução de textos, a gestão de conteúdos informativos e comunicacionais e a sua divulgação na página eletrónica institucional, redes socais, a conceção e elaboração de projetos editorias, garantindo uma comunicação integrada e homogénea em concordância com a politica institucional.
Referência B - Técnico Superior, área Design Gráfico: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção e produção de elementos gráficos para suportes digitais, criação de conteúdos impressos e suportes editoriais, produção de conteúdos impressos e Web (folhetos de oferta formativa, jornal, documentos, publicações institucionais, diplomas, etc.), assim como a aplicação do manual de identidade corporativa da Instituição.
Referência C – Técnico Superior, área de Multimédia: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção e desenvolvimento de conteúdos multimédia, animações 2D e 3D, a junção de 3D com imagem real, criação de layouts para aplicações interativas baseadas em linguagens de programação e dá apoio na área do audiovisual.
Referência D - Técnico Superior, área de Marketing Digital: entre outras atribuições específicas destaca-se o desenvolvimento de conteúdos para o site institucional, planos de comunicação, a conceção e produção de conteúdos físicos (folhetos, etc.), a gestão das redes sociais, a conceção e produção de conteúdos físicos de suporte à comunicação, imagem e cultura, assim como promoção da atualização e garantia da implementação do plano de comunicação institucional.
Referência E - Técnico Superior, área de Psicologia Clínica: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção, desenvolvimento e implementação de estratégias que visem o bem-estar psicológico e mental dos estudantes, a realização de consultas psicológicas, o desenvolvimento e implementação de programas de formação em competências transversais, assim como a criação de mecanismos que potenciem o interesse e envolvimento dos estudantes em programa de Voluntariado.
Referência F – Técnico Superior, área de Psicologia: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção, desenvolvimento e implementação de estratégias que visem o bem-estar físico psicológico dos estudantes, a realização de consultas psicológicas, a conceção, desenvolvimento e implementação de estratégias que visem a integração académica e a sua inclusão social, a conceção e implementação de medidas de apoio aos estudantes com necessidades educativas especiais, assim como a criação de mecanismos que potenciem a empregabilidade dos diplomados.
Referência G – Técnico Superior, área de Comunicação: entre outras funções, o desenvolvimento de ações de proximidade aos estudantes e de captação dos públicos para a Escola Superior de Hotelaria e Turismo e Escola Superior de Média Artes e Design, adiante designadas de Escolas no Campus 2, a atualização dos conteúdos informativos e de divulgação do portal e de redes sociais das Escolas no Campus 2, a propositura, manutenção e difusão da imagem institucional, a divulgação de eventos naqueles suportes de comunicação, a gestão e arquivo das imagens fotográficas e os elementos comunicacionais e promocionais das Escolas no Campus 2, planeamento e organização de ações promocionais, de relações externas e publicidade, de suporte ao plano de marketing das Escolas no Campus 2, promoção a identidade corporativa das Escolas no Campus 2 no que concerne à gestão de merchandising e outros suportes promocionais, assim como assegurar os contactos com a imprensa e as ações de relações públicas.
Referência H – Técnico Superior, área de Contabilidade: entre outras funções, destaca-se o exercício de funções no âmbito da contabilidade financeira e orçamental, na implementação do Sistema de Normalização Contabilística para administrações públicas (SNC-AP), bem como na área de contabilidade de gestão.


Local TrabalhoNº PostosMoradaLocalidadeCódigo PostalDistritoConcelho
Instituto Politécnico do Porto8Rua Dr. Roberto Frias, n.º 7124200465 PORTOPorto Porto
Total Postos de Trabalho:
8
Observações:

Relação Jurídica Exigida:
Sem Relação Jurídica de Emprego Público - Reconhecimento de Vínculo Precário
Requisitos para a Constituição de Relação Jurídica :
a) Nacionalidade Portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei especial;
b) 18 anos de idade completos;
c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.


Habilitação Literária:
Licenciatura
Descrição da Habilitação Literária:
Diversas Áreas - Ver Aviso em Anexo
Grupo Área TemáticaSub-área TemáticaÁrea Temática
Humanidades, Secretariado e TraduçãoHumanidadesFilosofia
TecnologiasArtes GráficasOutros
Direito, Ciências Sociais e ServiçosCiências da Comunicação e InformaçãoComunicação e Design Multimédia
Direito, Ciências Sociais e ServiçosCiências da Comunicação e InformaçãoCiências da Comunicação
Direito, Ciências Sociais e ServiçosCiências SociaisPsicologia
Humanidades, Secretariado e TraduçãoHumanidadesHistória
Economia, Gestão, Administração, ContabilidadeEconomia, Gestão Gestão
Outros Requisitos:
Envio de candidaturas para:
www.ipp.pt/concursos/prevpap/pessoal
Contatos:
225571000 | drh@sc.ipp.pt
Data Publicitação:
2019-02-08
Data Limite:
2019-02-22

Texto Publicado na página do organismo:
Aviso
Abertura de procedimento concursal de regularização extraordinária para o preenchimento de postos de trabalho do Mapa de Pessoal do Instituto Politécnico do Porto, adiante designado de P.PORTO, na modalidade de relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado, restrito a candidatos abrangidos pelo Programa de Regularização Extraordinária de Vínculos Precários (PREVPAP), aprovado pela Lei 112/2017, de 29 de dezembro, adiante designada e Lei PREVPAP.
1 – Nos termos do disposto nos artigos 9.º e 10.º da Lei PREVPAP, torna-se público que por despacho do Presidente do P.PORTO, de 8 de fevereiro de 2019 se encontra aberto, pelo período de 10 dias úteis, contados a partir do 1.º dia útil seguinte à publicitação do presente aviso na Bolsa de Emprego Público (BEP), procedimento concursal, para a constituição de relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado, tendo em vista o preenchimento de 8 (oito) postos de trabalho na categoria de Técnico Superior, da carreira de Técnico Superior:
Referência A: 1 Técnico Superior – Comunicação
Referência B: 1 Técnico Superior – Design
Referência C: 1 Técnico Superior – Multimédia
Referência D: 1 Técnico Superior – Marketing Digital
Referência E: 1 Técnico Superior – Psicologia Clínica
Referência F: 1 Técnico Superior – Psicologia
Referência G: 1 Técnico Superior – Comunicação
Referência H: 1 Técnico Superior – Contabilidade
2 – Legislação aplicável: Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro (Lei PREVPAP), Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LTFP), aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro na atual redação, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, adiante designada de Portaria e Decreto Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro que aprova o Código do Procedimento Administrativo, adiante designada CPA.
3 – Local de Trabalho: Serviços Comuns do P.Porto, sem prejuízo das deslocações que se venham a verificar necessárias para apoio e prestação de serviços nas Unidades Orgânicas e Serviços que integram o P.PORTO.
4 – O procedimento concursal destina-se à ocupação de 8 (oito) postos de trabalho do Mapa de Pessoal do P.PORTO, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado, nos termos constantes do artigo 40.º e seguintes da LTFP.
5 – O conteúdo funcional dos postos de trabalho:
5.1 – Comum a todas as referências: O posto de trabalho caracteriza-se pelo exercício de funções de Técnico Superior, com o conteúdo funcional descrito no anexo referido no n.º 2 do artigo 88.º da LTFP de grau de complexidade 3, designadamente no exercício, com autonomia e responsabilidade, de funções de estudo, conceção e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão, elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nos domínios de atuação comuns, instrumentais e operativos dos órgãos e serviços; funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado; representação do órgão ou serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores.
5.2 – Específico a cada um dos postos de trabalho:
Referência A – Técnico Superior, área de Comunicação: entre outras atribuições específicas destaca-se a criação, revisão, tradução e gestão de conteúdos institucionais para site, redes, projetos editoriais, a redação de noticias, a revisão e tradução de textos, a gestão de conteúdos informativos e comunicacionais e a sua divulgação na página eletrónica institucional, redes socais, a conceção e elaboração de projetos editorias, garantindo uma comunicação integrada e homogénea em concordância com a politica institucional.
Referência B - Técnico Superior, área Design Gráfico: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção e produção de elementos gráficos para suportes digitais, criação de conteúdos impressos e suportes editoriais, produção de conteúdos impressos e Web (folhetos de oferta formativa, jornal, documentos, publicações institucionais, diplomas, etc.), assim como a aplicação do manual de identidade corporativa da Instituição.
Referência C – Técnico Superior, área de Multimédia: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção e desenvolvimento de conteúdos multimédia, animações 2D e 3D, a junção de 3D com imagem real, criação de layouts para aplicações interativas baseadas em linguagens de programação e dá apoio na área do audiovisual.
Referência D - Técnico Superior, área de Marketing Digital: entre outras atribuições específicas destaca-se o desenvolvimento de conteúdos para o site institucional, planos de comunicação, a conceção e produção de conteúdos físicos (folhetos, etc.), a gestão das redes sociais, a conceção e produção de conteúdos físicos de suporte à comunicação, imagem e cultura, assim como promoção da atualização e garantia da implementação do plano de comunicação institucional.
Referência E - Técnico Superior, área de Psicologia Clínica: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção, desenvolvimento e implementação de estratégias que visem o bem-estar psicológico e mental dos estudantes, a realização de consultas psicológicas, o desenvolvimento e implementação de programas de formação em competências transversais, assim como a criação de mecanismos que potenciem o interesse e envolvimento dos estudantes em programa de Voluntariado.
Referência F – Técnico Superior, área de Psicologia: entre outras atribuições específicas destaca-se a conceção, desenvolvimento e implementação de estratégias que visem o bem-estar físico psicológico dos estudantes, a realização de consultas psicológicas, a conceção, desenvolvimento e implementação de estratégias que visem a integração académica e a sua inclusão social, a conceção e implementação de medidas de apoio aos estudantes com necessidades educativas especiais, assim como a criação de mecanismos que potenciem a empregabilidade dos diplomados.
Referência G – Técnico Superior, área de Comunicação: entre outras funções, o desenvolvimento de ações de proximidade aos estudantes e de captação dos públicos para a Escola Superior de Hotelaria e Turismo e Escola Superior de Média Artes e Design, adiante designadas de Escolas no Campus 2, a atualização dos conteúdos informativos e de divulgação do portal e de redes sociais das Escolas no Campus 2, a propositura, manutenção e difusão da imagem institucional, a divulgação de eventos naqueles suportes de comunicação, a gestão e arquivo das imagens fotográficas e os elementos comunicacionais e promocionais das Escolas no Campus 2, planeamento e organização de ações promocionais, de relações externas e publicidade, de suporte ao plano de marketing das Escolas no Campus 2, promoção a identidade corporativa das Escolas no Campus 2 no que concerne à gestão de merchandising e outros suportes promocionais, assim como assegurar os contactos com a imprensa e as ações de relações públicas.
Referência H – Técnico Superior, área de Contabilidade: entre outras funções, destaca-se o exercício de funções no âmbito da contabilidade financeira e orçamental, na implementação do Sistema de Normalização Contabilística para administrações públicas (SNC-AP), bem como na área de contabilidade de gestão.
6 – Posicionamento remuneratório: De acordo com o artigo 12.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o posicionamento remuneratório para todos os postos de trabalho a concurso, todos da carreira/ categoria de técnico superior, é efetuado na 2.ª posição remuneratória, nível 15 da categoria, da tabela remuneratória única – 1.201, 48€ (mil duzentos e um euros e quarenta e oito cêntimos).
7 – Destinatários: em obediência ao disposto no n.º 1 do artigo 2.º e artigo 3.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o procedimento concursal em causa e o recrutamento é restrito a pessoas que se enquadrem no âmbito do já citado artigo 3.º n.º 1, alínea a) ou b) e n.º 2, conjugados com o n.º 1 do artigo 5.º, ambos da referida lei, e que exerçam as funções descritas no ponto 5 do presente aviso e que a sua situação como trabalhador precário assim tenha sido deliberada pela Comissão de Avaliação Bipartida da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
8 – Requisitos de admissão:
8.1 – A constituição da relação jurídica de emprego público depende da reunião pelos candidatos dos seguintes requisitos gerais necessários e cumulativos ao exercício de funções públicas, conforme artigo 17.º da LTFP:
a) Ter nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, Convenção Internacional ou Lei Especial;
b) Ter 18 anos de idade completos;
c) Não estar inibido do exercício de funções públicas ou interdito para o exercício de funções que se propõe desempenhar;
d) Possuir a robustez física e o perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
e) Ter cumprido as leis de vacinação obrigatória.
8.2 – Habilitações exigidas:
Referência A: Licenciatura Filosofia
Referência B: Licenciatura em Artes Visuais e Tecnológicas
Referência C: Licenciatura em Tecnologias da Comunicação Multimédia
Referência D: Licenciatura em Ciências da Comunicação, ramo Jornalismo
Referência E: Licenciatura ou Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde
Referência F: Licenciatura em Psicologia
Referência G: Licenciatura em História
Referência H: Licenciatura em Gestão
8.3 – No presente procedimento concursal não existe a possibilidade de substituição do nível habilitacional por formação ou experiência profissionais, nos termos do n.º 2 do artigo 8.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.
9 – Forma e prazo de apresentação das candidaturas:
9.1 – Prazo: 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação do presente aviso na Bolsa de Emprego Público e na página eletrónica do P.PORTO – www.ipp.pt/concursos/prevpap/pessoal.
9.2 – Forma: As candidaturas deve ser formalizadas obrigatoriamente, sob pena de exclusão, através do preenchimento do formulário eletrónico de candidatura que se encontra disponível em www.ipp.pt/concursos/prevpap/pessoal e da respetiva submissão até ao termo do prazo fixado em conjunto com os restantes documentos obrigatórios e facultativos. As candidaturas enviadas através de correio eletrónico, ou por qualquer outra via que não a determinada, serão liminarmente excluídas.
9.3 – Os campos constantes do formulário de candidatura, que cumprem o disposto no Despacho (extrato) n.º 11321/2009, de 29 de abril, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 89, de 8 de maio, são de preenchimento obrigatório: identificação do procedimento concursal objeto da candidatura e referência da BEP; identificação do candidato (nome completo, data de nascimento, nacionalidade, número de identificação fiscal, residência, telefone e endereço eletrónico); habilitações académicas e profissionais; decisão de reconhecimento prévio do vínculo precário, a indicar no campo do formulário com o título “outras funções e atividades exercidas”.
10 – Documentos a entregar pelo candidato sob pena de exclusão:
10.1 – Os candidatos devem anexar ao seu formulário de candidatura os seguintes documentos:
a) Cópia legível do(s) certificado(s) de habilitações;
b) Documentos comprovativos de experiência profissional, onde conste o tempo de serviço e natureza das funções exercidas;
c) Cópia dos Certificados ou comprovativos de ações de formação realizadas com relevância para o posto de trabalho objeto de candidatura;
d) Currículo detalhado e atualizado, datado e assinado;
e) As menções, qualitativas e quantitativas, obtidas nas avaliações de desempenho dos últimos três anos, se aplicável ou declaração emitida pelo Serviço onde desempenha ou desempenhou funções de que não foi objeto de avaliação.
f) Declaração emitida pelo Serviço onde desempenha ou desempenhou funções devidamente autenticada e atualizada – à data reportada ao prazo estabelecido para apresentação das candidaturas – da qual conste a descrição detalhada das tarefas e responsabilidades desempenhadas pelo candidato, com vista à apreciação do conteúdo funcional, respetiva duração, expressa em datas (de/a), anos, meses e dias, e que a sua situação de precaridade não foi objeto de regularização;
g) Cópia da Ficha de Avaliação Individual relativa ao candidato, onde conste a deliberação tomada pela Comissão de Avaliação Bipartida.
10.2 – Nos termos do n.º 7, do artigo 28.º da Portaria, aos candidatos que exerçam funções nos Serviços Comuns do P.PORTO não é exigida a apresentação de outros documentos comprovativos dos factos indicados no currículo desde que expressamente refiram que os mesmos se encontram arquivados no seu processo individual.
10.3 – Nos termos do disposto no n.º 9 do artigo 28.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, na atual redação, a não apresentação dos documentos atrás referidos determina a exclusão dos candidatos.
10.4 — A apresentação de documento falso determina a exclusão do procedimento concursal a participação à entidade competente para efeitos de procedimento disciplinar e/ou penal.
10.5 – Assiste ao júri a faculdade de exigir aos candidatos, em caso de dúvida, a apresentação de documentos comprovativos das suas declarações.
11 – Métodos de Seleção: Nos termos do disposto artigo 10.º, n.º 6 da Lei n.º 112/2017 de 29 de dezembro, o método de seleção a utilizar será a avaliação curricular e, havendo mais de um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção.
11.1 – A avaliação curricular (AC) é valorada de acordo com a escala de 0 a 20 valores, considerando-se a valoração até às centésimas. Visa avaliar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação académica, percurso profissional, relevância da experiência adquirida e da formação realizada, tipo de funções exercidas e a avaliação de desempenho obtida. Para tal, serão considerados e ponderados os elementos de maior relevância para os postos de trabalho, nomeadamente: as habilitações académicas, a formação profissional, a experiência profissional e o tempo de desempenho no período anterior, no exercício de funções caracterizadoras dos postos de trabalho a concurso.
11.2 – Entrevista profissional de seleção: A entrevista profissional de seleção visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a experiência profissional e os aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida entre o entrevistador e o entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de relacionamento interpessoal.
12 – Classificação final (CF):
12.1 – A classificação final será expressa de 0 a 20 valores, com arredondamento às centésimas.
12.2 – A classificação final resulta da aplicação de uma das seguintes fórmulas:
12.2.1 – Havendo apenas um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, a classificação final apura-se da seguinte forma:
CF = 100% AC
12.2.2 – Havendo mais de um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, a classificação final apura-se da seguinte forma:
CF = (60%) AC + (40%) EPS
Legenda:
CF = Classificação Final
AC = Avaliação Curricular (ver artigo 6.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, na atual redação)
EPS = Entrevista Profissional de Seleção (ver artigo 7.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, na atual redação)
13 - No caso em que haja lugar a entrevista profissional de seleção, os candidatos são convocados nos termos do artigo 32.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro e por uma das formas previstas no n.º 3 do artigo 30.º do mesmo diploma, nomeadamente por correio eletrónico, de acordo com o n.º 8 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, indicando-se o dia, hora e local da realização do mencionado método de seleção.
14 – A publicitação dos resultados obtidos na avaliação curricular ou após a aplicação dos dois métodos de seleção, quando aplicável, é efetuada através de lista, ordenada alfabeticamente, afixada em local visível e público nas instalações do P.PORTO, Rua Roberto Frias, n.º 712, 4200-465 Porto, e publicada na página eletrónica do P.PORTO (https://portal.ipp.pt/personnel/Info.aspx?id=83100).
15 – São motivos de exclusão do presente procedimento:
a) O incumprimento dos requisitos mencionados neste aviso, sem prejuízo dos demais legal ou regularmente previstos;
b) A obtenção de uma valoração inferior a 9,5 valores na avaliação curricular;
c) A obtenção de uma valoração inferior a 9,5 valores na entrevista profissional de seleção (quando aplicável);
d) A não comparência à entrevista profissional de seleção (quando aplicável);
e) A obtenção de uma valoração final inferior a 9,5 valores, quando haja lugar à aplicação dos dois métodos de seleção, resultado do emprego da fórmula do ponto 12.2.2 do presente aviso.
16 – Haverá lugar à audiência de interessados, nos termos do CPA, após a aplicação de todos os métodos de seleção e antes de ser proferida a decisão final. Os candidatos excluídos serão notificados por correio eletrónico, nos termos dos n.ºs 7 e 8 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.
17 – A lista de classificação e/ou de ordenação final dos candidatos, se aplicável, após homologação, é publicada na página eletrónica do P.PORTO (https://portal.ipp.pt/personnel/Info.aspx?id=83100), após aplicação do(s) método(s) de seleção.
18 – As atas do júri, onde constam os parâmetros de avaliação e respetiva ponderação de cada um dos métodos a utilizar, a grelha classificativa e o sistema de valoração final do método, serão publicadas na plataforma de candidatura.
19 – O procedimento concursal tem caráter urgente, prevalecendo as funções próprias do júri sobre quaisquer outras.
20 – Composição do júri:
20.1 – Para as referências: Referência A – Técnico Superior, área de Comunicação, Referência B - Técnico Superior, área Design Gráfico, Referência C – Técnico Superior, área de Comunicação e Multimédia, Referência D - Técnico Superior, área de Marketing Digital, Referência G – Técnico Superior, área de Comunicação, o júri terá a seguinte composição:
Presidente: Eduarda Clara Mendes da Costa Machado, Assessora de Gestão da Presidência do P.PORTO
1.º Vogal efetivo: Cristiano José Cardoso dos Santos, Assessor da Presidência do P.PORTO, que substitui a Presidente do Júri nas suas faltas e impedimentos
2.º Vogal efetivo: Rui Alexandre Maia Pinheiro, Coordenador do Gabinete de Comunicação e Imagem do P.PORTO.
1.º Vogal suplente: Paulo Jorge Tomás dos Santos, Pró-Presidente do P.PORTO
2.º Vogal suplente: Filipe Rafael Lopes Pedrosa, Técnico Superior da Divisão de Apoio a Programas e Projetos do P.PORTO
20.2 – Para as referências: Referência E - Técnico Superior, área de Psicologia Clínica, Referência F – Técnico Superior, área de Psicologia, o júri terá a seguinte composição:
Presidente: Eduarda Clara Mendes da Costa Machado, Assessora de Gestão da Presidência do P.PORTO
1.º Vogal efetivo: Paulo Jorge Tomás dos Santos, Pró-Presidente do P.PORTO, que substitui a Presidente do Júri nas suas faltas e impedimentos
2.º Vogal efetivo: António Tomás Belo da Costa, Chefe da Divisão de Assessoria Jurídica do P.PORTO
1.º Vogal suplente: Filipe Rafael Lopes Pedrosa, Técnico Superior da Divisão de Apoio a Programas e Projetos do P.PORTO
2.º Vogal suplente: Paula Cristina Ferreira da Silva, Administradora do P.PORTO
20.3 – Para as referências: Referência H - Técnico Superior, área de Contabilidade, o júri terá a seguinte composição:
Presidente: Paula Cristina Ferreira da Silva, Administradora do P.PORTO
1.º Vogal efetivo: Ivo Costa Santos, Administrador dos SAS.IPP, que substitui a Presidente do Júri nas suas faltas e impedimentos
2.º Vogal efetivo: Eduarda Clara Mendes da Costa Machado, Assessora de Gestão da Presidência do P.PORTO
1.º Vogal suplente: Pedro Eduardo Guedes Teixeira, Chefe da Divisão de Orçamento, Aprovisionamento e Projetos do P.PORTO
2.º Vogal suplente: Paulo Jorge Tomás dos Santos, Pró-Presidente do P.PORTO.
21 – Nos termos do disposto no n.º 4 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso é publicitado na Bolsa de Emprego Público (www.bep.gov.pt) e na página eletrónica do P.PORTO (https://portal.ipp.pt/personnel/Info.aspx?id=83100).
22 – Em tudo que não se encontre previsto no presente aviso, o procedimento rege-se pelas disposições constantes da LTFP, da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, na sua atual redação, da Constituição da República Portuguesa e do Código do Procedimento Administrativo.
23 – Em cumprimento da alínea h) do artigo 9.º da Constituição da República o Instituto Politécnico do Porto, enquanto entidade empregadora, promove ativamente uma política de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação”.
Porto, 8 de fevereiro de 2019, O Presidente do Politécnico do Porto, João Rocha.
Autorização dos membros do Governo Artigo 30.º da LTFP:
DISPENSADA, nos termos do n.º1 do artigo 9.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro