Ir para conteúdo principal
A carregar.
ver tudo

Código da Oferta:
OE201803/0571
Tipo Oferta:
Procedimento Concursal de Regularização
Estado:
Expirada estado
Nível Orgânico:
Ministério da Defesa Nacional
Vínculo:
CTFP por tempo indeterminado
Regime:
Carreiras Especiais
Carreira:
Enfermagem
Categoria:
Enfermeiro
Grau de Complexidade:
0
Remuneração:
1201,48€
Suplemento Mensal:
0,00 EUR
Caracterização do Posto de Trabalho:
Aos postos de trabalho a ocupar corresponde o conteúdo funcional estabelecido no artigo 9.º do Decreto-Lei n.º 247/2009, de 22 de setembro


Local TrabalhoNº PostosMoradaLocalidadeCódigo PostalDistritoConcelho
Estado Maior General das Forças Armadas60Av. Ilha da Madeira, 11400204 LISBOALisboa Lisboa
Total Postos de Trabalho:
60
Observações:
Ao presente procedimento concursal de regularização extraordinária não se aplica o Decreto-Lei n.º 29/2001, de 3 de fevereiro, que estabelece o sistema de quotas de emprego para pessoas com deficiência.
3. Local de Trabalho: Hospital das Forças Armadas
Polo de Lisboa – sito na Azinhaga dos Ulmeiros 1649-020 Lisboa
Polo do Porto – sito na Avenida da Boavista 4050-113 Porto

Relação Jurídica Exigida:
Sem Relação Jurídica de Emprego Público - Reconhecimento de Vínculo Precário
Requisitos para a Constituição de Relação Jurídica :
a) Nacionalidade Portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei especial;
b) 18 anos de idade completos;
c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.


Habilitação Literária:
Licenciatura
Descrição da Habilitação Literária:
Licenciatura em Enfermagem
Grupo Área TemáticaSub-área TemáticaÁrea Temática
SaúdeEnfermagemEnfermagem
Outros Requisitos:
Envio de candidaturas para:
hfar_pl_prevpap@hfar.pt e hfar_pp_prevpap€hfar.pt
Contatos:
217519690
Data Publicitação:
2018-03-16
Data Limite:
2018-04-02

Texto Publicado na página do organismo:
ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA REGULARIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA DE VINCULOS PRECÁRIOS PARA O HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS – 245 (DUZENTOS E QUARENTA E CINCO) POSTOS DE TRABALHO

1. Torna-se público, nos termos e para os efeitos do art.º 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, conjugado com o n.º 2 do art.º 33.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LTFP), aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na sua atual redação, e da alínea c) do n.º 1 do art.º 19.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 06 de abril, na sequência da homologação por Suas Excelências os Ministros da Defesa Nacional, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e, bem assim, da Secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, dos pareceres da Comissão de Avaliação Bipartida da Defesa Nacional, se encontram abertos, pelo prazo de 10 (dez) dias úteis, contados a partir da publicação do presente aviso na Bolsa de Emprego Público (BEP), os procedimentos concursais em baixo indicados, para ocupação de 245 (duzentos e quarenta e cinco) postos de trabalho, não ocupados ou a prever no Mapa de Pessoal Civil do Hospital das Forças Armadas, na modalidade de Contrato de Trabalho em Funções Públicas Por Tempo Indeterminado (CTFPTI):

2. Identificação dos Postos de Trabalho:
a) Categoria/Carreira de Assistente da Carreira Especial Médica
Ref. A – Assistente da Carreira Especial Médica 25 postos de trabalho.
b) Categoria/Carreira Técnica Superior de Saúde
Ref. B– Técnico Superior de Saúde 3 postos de trabalho.
c) Categoria/Carreira Técnica Superior
Ref. C– Técnico Superior 8 postos de trabalho.
d) Categoria/Carreira Técnica Superior de Diagnóstico e Terapeutica
Ref. D – TSDT 35 postos de trabalho.
e) Categoria/Carreira Enfermagem
Ref. E 60 postos de Trabalho.
f) Categoria/Carreira Assistente Técnico
Ref. F 7 postos de Trabalho.


g) Categoria/Carreira Assistente Operacional
Ref. G 107 postos de Trabalho.

3. Local de Trabalho: Hospital das Forças Armadas
Polo de Lisboa – sito na Azinhaga dos Ulmeiros 1649-020 Lisboa
Polo do Porto – sito na Avenida da Boavista 4050-113 Porto

4. Caraterização dos postos de trabalho:
Ref. A - Aos postos de trabalho a ocupar corresponde o conteúdo funcional estabelecido no artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 177/2009, de 4 de agosto, alterado pelo Decreto-Lei n.º 266-D/2012, de 31 de dezembro.
Ref. B – Aos postos de trabalho a ocupar corresponde o conteúdo funcional estabelecido no Decreto-Lei n.º 414/91, de 22 de outubro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 501/99, de 19 de novembro.
Ref. C – Exercer as atividades inerentes à carreira e categoria de Técnico Superior, nos termos do mapa anexo a que se refere o n.º 2 do artigo 88.º da LTFP, correspondente ao grau de complexidade 3.
Ref. D – Aos postos de trabalho a ocupar corresponde o conteúdo funcional estabelecido no artigo 9.º do Decreto-Lei n.º 111/2017, de 31 de agosto.
Ref. E – Aos postos de trabalho a ocupar corresponde o conteúdo funcional estabelecido no artigo 9.º do Decreto-Lei n.º 247/2009, de 22 de setembro.
Ref. F e G – Exercer as atividades inerentes à carreira e categoria de Assistente Técnico e Assistente Operacional, nos termos do mapa anexo a que se refere o n.º 2 do artigo 88.º da LTFP, correspondente ao grau de complexidade 2 e 1, respetivamente.

5. Determinação do Posicionamento Remuneratório:
5.1 De acordo com o art.º 12.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, à pessoa recrutada é atribuida posição remuneratória de acordo com as seguintes regras:
a. Em carreiras pluricategoriais, a 1.ª posição remuneratória da categoria de base da carreira;
b. Em carreiras unicategoriais, a 1.ª posição remuneratória da categoria única da carreira, ou a 2.ª posição remuneratoria da categoria única da carreira geral de técnico superior.

6. Âmbito do Recrutamento:
6.1 Em conformidade com o disposto no n.º 1 do art.º 3.º da lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, podem ser opositores as pessoas que exerçam ou tenham exercido as funções em causa.
i. No período entre 1 de janeiro e 4 de maio de 2017, ou parte dele, e durante pelo menos um ano à data do início do procedimento concursal de regularização;
ii. Nos casos de exercício de funções no período entre 1 de janeiro e 4 de maio de 2017, ao abrigo de contratos emprego-inserção, contratos emprego -inserção+, as que tenham exercido as mesmas funções nas condições referidas no proémio, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal de regularização;
iii. Nos casos de exercício de funções ao abrigo de contratos de estágio celebrados com a exclusiva finalidade de suprir a carência de recursos humanos essenciais para a satisfação de necessidades permanentes, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal de regularização.

7. Prazo, forma e local para apresentação de candidaturas:
7.1 Prazo: 10 (dez) dias úteis, contados da publicação do presente aviso;
7.2 Forma: Preferencialmente, por correio eletrónico, podendo também ser entregue em papel, mediante preenchimento de formulário de candidatura ao procedimento concursal, a que se refere o n.º 1 do artigo 51.º da Portaria n.º 83-A/2009 de 22 de janeiro, aprovado pelo Despacho (extrato) n.º 11321/2009, publicado no Diário da República, 2.ª Série, n.º 89, de 8 de maio de 2009, e o envio dos anexos nele referido;
7.3 O formulário de candidatura está disponível na página eletrónica do HFAR.
7.4 Local: Por correio eletrónico para o E-mail: hfar_pl_prevpap@hfar.pt (Polo de Lisboa) e hfar_pp_prevpap@hfar.pt (Polo do Porto), podendo este ser entregue pessoalmente, em papel, das 08H30 às 16H30, ou por carta registada com aviso de receção, nas moradas indicadas em 3.
8. Requisitos de admissão:
8.1 Gerais: São requisitos gerais comuns a todas as referências os previstos no art.º 17.º da LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na sua atual redação, designadamente:
a. Ter nacionalidade Portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, por Convenção Internacional ou por Lei especial;
b. Ter 18 anos de idade completos;
c. Não estar inibido do exercício de funções públicas ou não estar interdito para o exercício a que se propõe desempenhar;
d. Possuir robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
e. Ter cumprido as leis da vacinação obrigatória.
8.2 Carreira Especial Médica: os requisitos de admissão são os referidos no n.º 3 do artigo 15.º do Decreto-Lei n.º 177/2009, de 04 de agosto, nos termos da alínea i) do n.º 1 do artigo 11.º do Regulamento dos concursos de provimento da carreira especial médica.
8.3 Carreira Especial de Enfermagem: os requisitos de admissão são os referidos no artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 247/2009, de 22 de setembro.
8.4 Carreira Técnica Superior de Diagnóstico e Terapêutica: os requisitos de admissão são os referidos no n.º 2 do art.º 4.º e art.º 8.º do Decreto-Lei n.º 111/2017, de 31 de agosto.
8.5 Técnicos Superiores de Saúde: O estabelecido nos art.ºs 3.º a 7.º do Decreto-Lei n.º 414/91, de 22 de outubro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 501/99, de 19 de novembro.
8.6 Técnicos Superiores: É exigido a titularidade de Licenciatura ou grau academico superior a esta, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 86º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, publicado em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho.
8.7 Assistente Técnico: É exigido o 12.º ano de escolaridade, nos termos da alínea b) do n.º 1 do artigo 86º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, publicado em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho.
8.8 Assistente Operacional: É exigida a escolaridade obrigatória, ainda que acrescida de formação profissional adequada, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 86º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, publicado em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho.

9 Métodos de seleção
9.1 Ao abrigo do disposto no n.º 6 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, conjugado com o art.º 11.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, com as alterações introduzidas pela Portaria n.º 145-A/2011, de 06 de abril, atento à urgência do presente procedimento concursal, são aplicaveis os métodos de seleção de avaliação curricular (AC), sendo fator de ponderação o tempo de exercicio de funções caraterizadoras dos postos de trabalho a concurso e, havendo mais de um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção (EPS).
9.2 Para os postos de trabalho onde sejam opositores mais de um candidato é aplicavel o disposto no n.º 2 do art.º 36.º da LTFP, i,e, Avaliação Curricular e Entrevista Profissional de Seleção. Sendo os métodos utilizados eliminatórios pela ordem enunciada, serão excluidos aqueles que obtenham uma classificação final inferior a 9,5 valores num dos métodos de seleção, ou que não compareçam à realização da Entrevista profissional de seleção, quando aplicável.
9.3 A ordem final dos candidatos que completem os procedimentos concursais será efetuada numa escala de 0 a 20 valores e de acordo com as seguintes regras:
- Procedimentos concursais em que exista um único candidato para o posto de trabalho:
CF = AC x 100%
- Procedimentos concursais em que exista mais que um candidato para o(s) posto(s) de trabalho: candidato para o posto de trabalho:
CF = (AC x 80%) + (EPS x 20%)
Em que:
CF = Classificação Final;
AC = Avaliação Curricular;
EPS = Entrevista Profissional de Seleção.
9.4 A Avaliação Curricular visa analisar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação académica ou profissional, percurso profissional, relevância de experiência adquirida e da formação realizada e tipo de funções exercidas.
9.5 Na avaliação curricular serão considerados e ponderados numa escala de 0 a 20 valores, os seguintes parâmetros:
Habilitação Académica (HA);
Formação Profissional (FP);
Experiência Profissional (EP).
9.6 A Avaliação Curricular será expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às centésimas, sendo a classificação obtida através de uma média aritmética simples das classificações dos elementos a avaliar, de acordo com a aplicação da fórmula seguinte:
AC = (HA x 10%) + (FP x 10%) + (EP x 80%)
9.7 Sempre que algum dos documentos apresentados pelos candidates impossibilite a avaliação de um dos parâmetros relativos à Avaliação Curricular, ser-lhe-á atribuida a nota mínima prevista para esse parâmetro.
9.8 A Entrevista Profissional de Seleção visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a experiência profissional e aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida entre jurí e o entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de relacionamento interpessoal.
Será avaliada de 0 a 20 valores com valoração até às centésimas e incidirá sobre os seguintes parâmetros de avaliação:
Qualidade da Experiência Profissional (QEP);
Motivação/Interesse (MI);
Responsabilidade (R);
Sentido critico (SC).
9.9 Por cada entrevista profissional de seleção será elaborada uma ficha individual contendo o resumo dos temas abordados, os parâmetros de avaliação e a classificação obtida em cada um deles, devidamente fundamentada, sendo o local, data e hora da realização atempadamente afixados em local visivel e público nas instalações do HFAR.
9.9.1 Sendo realizada pelo Jurí, a classificação a atribuir a cada parâmetro de avaliação resulta de votação nominal e por maioria, e o resultado final obtido através da média aritmética simples das classificações dos parâmetros de avaliação:
EPS = (QEP + MI + R+ SC) /4
9.9.2 Os critérios de apreciação e ponderação a utilizar na aplicação dos métodos de seleção, bem como o sistema de classificação final, incluindo a respetiva fórmula classificativa, constam de ata de reunião do júri dos procedimentos concursais, sendo a mesma facultada aos candidados, sempre que solicitada.
10 Critérios de desempate:
Na sequência da aplicação dos métodos de seleção e da ordem final dos candidatos, subsistindo o empate, após aplicação dos critérios de ordenação preferencial previstos no art.º 35.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, serão utilizados os critérios de desempate em baixo mencionados, de acordo com a seguinte ordem:
1.º Candidato com maior experiência profissional na área funcional;
2.º Candidato com maior formação profissional na área.


11 Documentos a apresentar:
Para todas as referências, o formulário de candidatura deverá ser acompanhado dos seguintes documentos, sob pena de exclusão do candidato:
1. Curriculum Vitae atualizado e detalhado, mencionando, nomeadamente, a experiência profissional relevante para o exercício das funções do lugar a concurso, ações de formação e aperfeiçoamento profissional relevantes, com referência á duração;
2. Fotocópia do Certificado de habilitações Literárias;
3. Fotocópia comprovativa dos requisitos especificos (caso seja aplicável);
4. Fotocópia de outros documentos comprovativos dos factos referidos no Curriculum Vitae;
5. Declaração comprovativa do tempo de exercício de funções caraterizadoras do posto de trabalho a concurso.
12 A apresentação de documento falso determina a exclusão do candidato, sem prejuizo de participação à entidade competente para efeitos de procedimento disciplinar e ou penal.
13 Constituição dos Juris:
A) Polo de Lisboa,
1- MÉDICOS:
Júri:
Presidente: Capitão-de-mar-e-guerra, Médico Naval, Luís Carlos Bronze de Carvalho;
1.º Vogal Efetivo: Tenente-Coronel Médico, 129048-H Luís Manuel Monteiro Tátá, Chefe do Serviço de Radiologia/Imagiologia do HFAR-PL, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: Major Médica, 06201698 Mafalda Sofia Fernandes Marcelino Rodrigues, Chefe do Serviço de Endocrinologia do HFAR-PL.
1º Vogal Suplente: Major Médico, 01717800 Ricardo Miguel Teixeira Dias, do Serviço de Anestesiologia do HFAR-PL.
2º Vogal Suplente: Major Médica, 14023698 Rosa Maria Queiroz Pereira Gil Cardiga, da Unidade de Cuidados Intensivos e Intermédios do HFAR-PL.

2- ENFERMEIROS:
Júri:
Presidente: Major Técnico de Saúde, 059791-A Armando Jorge Nogueira Armando, Enfermeiro Coordenador do HFAR.
1.º Vogal Efetivo: Major Técnico de Saúde, 15617089 Rui Manuel Caldeira Curião, Enfermeiro Coordenador Ajunto para o HFAR-PL. que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: Capitão Técnico de Saúde, 21207591 Marcelo de Sousa Vaz, do Serviço de Psiquiatria do HFAR-PL.
1.º Vogal Suplente: 1º Tenente Técnico de Saúde, 901790 Carlos Miguel Henriqueto Soares, da Unidade de Cuidados Intensivos e Intermédios do HFAR-PL.
2.º Vogal Suplente: Capitão Técnico de Saúde, 21388293 Nelson Lopes Alfredo, do Departamento de Vigilância e Controlo Epidemiológico/CEIP, do HFAR.

3- TÉCNICOS SUPERIORES DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA:
Júri:
Presidente: Alferes Técnico de Saúde, 11850781 António Manuel Rodrigues Caldeira, Coordenador dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica do HFAR/PL;
1.º Vogal Efetivo: Alferes Técnico de Saúde, 17843585 João Carlos Mesquita Esteves Correia, da Unidade de Radiologia de Intervenção do HFAR-PL, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: Técnica Superior das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica – Análises Clínicas 054796-E, Maria José da Piedade Ferreira Barbosa Pereira, do Serviço de Patologia Clínica do HFAR-PL,
3.º Vogal Efetivo: Técnico Superior das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica – Fisioterapia 075325-E, Joaquim de Matos Fernandes, do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do HFAR-PL.
4.º Vogal Efetivo: Técnico Superior das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica – Medicina Nuclear 133008-L, Ana Rita Ferreira Canotilho Grácio de Almeida, do Serviço de Medicina Nuclear do HFAR-PL.
1.º Vogal Suplente: Técnica Superior das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica – Radiologia 11002296, Maria Manuela Sousa Almeida, da Unidade de Radiologia de Intervenção do HFAR-PL.
2.º Vogal Suplente: Técnico Superior das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica – Anatomia Patológica, 91006186 José Manuel dos Santos Marques, do Serviço de Anatomia Patológica do HFAR-PL.

4- TÉCNICOS SUPERIORES:
Júri:
Presidente: Major Psicóloga 130478-L, Marianne Claire Q. Fronteira e Silva Cordeiro, Chefe da Psicologia Clínica do HFAR-PL.
1.º Vogal Efetivo: Capitão-Tenente Nutrição, 9100894 Mariana Cirne de Vasconcelos Araújo de Brito, Chefe da Nutrição e Dietética do HFAR-PL, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: Técnico Superior de Saúde - Psicologia, 92012889 Ana Paula de Sousa Cerejo, da Psicologia Clínica do HFAR-PL.
1.º Vogal Suplente: Major Psicóloga, 126220-D Maria José Alves Fonseca, da Psicologia Clínica do HFAR-PL.
2.º Vogal Suplente: Técnico Superior de Saúde – Análises Clínicas, 91001194, João Luís Rebelo Marçal Lago, do Serviço de Patologia Clínica do HFAR-PL.

5- ASSISTENTES TÉCNICOS:
Júri:
Presidente: Tenente-Coronel de Medicina Dentária, Nuno Miguel Oliveira de Sousa e Silva, Chefe do Serviço de Estomatologia e Medicina Dentária do HFAR-PL.
1.º Vogal Efetivo: Capitão TS 129552-H, Ana Isabel Antunes Barata Martins Ferrão, da Auditoria Interna do HFAR, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: Técnica Superior, 92020190, Lídia Maria Fraga Gonçalves, do Gabinete Jurídico do HFAR-PL.
1.º Vogal Suplente: Major Farmácia, José Henrique da Silva Diógenes Nogueira, Chefe do Serviço de Aprovisionamento do HFAR-PL.
2.º Vogal Suplente: Assistente Técnica, 92007890, Albertina Maria Gouveia Plácido, do Serviço Financeiro do HFAR-PL.



6- ASSISTENTES OPERACIONAIS:
Júri:
Presidente: Major Técnico de Saúde, 086006-K, Carlos Manuel Tavares Ferreira, Chefe do Serviço de Gestão de Utentes do HFAR.
1.º Vogal Efetivo: Major Técnico de Saúde, 11811293, Carlos Manuel Mendes Duarte, do Internamento Polivalente do HFAR-PL, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: Técnica Superior, 92020190, Lídia Maria Fraga Gonçalves, do Gabinete Jurídico do HFAR-PL.
1.º Vogal Suplente: Capitão ADMAER, 132993-G ,Sérgio Cláudio Cruz Domingos, Chefe da Subsecção de Gestão de Utentes do HFAR-PL.
2.º Vogal Suplente: Assistente Operacional, 077965-C, Ilda Rosa Joaquim de Oliveira Martins, do Bloco Operatório e Central De Esterilização do HFAR-PL.

B) Polo do Porto,
1 - MÉDICOS:
Júri:
Presidente: Coronel SS Médico, António José Martins Correia;
Vogais efetivos:
1.º Vogal Efetivo: TCOR SS/MED, António José dos Santos Moura, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos.
2.º Vogal Efetivo: TCOR SS/MED, João Eduardo Antunes C. Almeida;
3.º Vogal Efetivo: TCOR SS/MED, Pedro Moreira Nascimento Pinto Coelho;
4.º Vogal Efetivo: MAJ SS/MED, Pedro André Correia Almeida Pinto;
5.º Vogal Efetivo: MAJ SS/MED, Paula Neto Janeira;
6.º Vogal Efetivo: ASS GRAD SENIOR, Maria Inês Rocha Alves C Saavedra Ruvina;
7.º Vogal Efetivo: ASS GRAD, Paulo Manuel Silva Oliveira Dias;
Vogais Suplentes:
1.º Vogal Suplente: TCOR SS/MED, José Miguel Marques Martins Salazar;
2.º Vogal Suplente: TCOR SS/MED, Carlos Manuel Lobato Gomes Sousa.

2 - ENFERMEIROS:
Júri:
Presidente: MAJ TS, Manuel Joaquim Costa Moreira;
Vogais Efetivos:
1.º Vogal Efetivo: MAJ TS, António Manuel Almeida Moreira, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos;
2.º Vogal Efetivo: MAJ TS, Emanuel Oliveira Lourenço;
Vogais Suplentes:
1.º Vogal Suplente: CAP TS, Augusto Manuel Tavares Gurgo e Cirne;
2.º Vogal Suplente: ALF TS, Carlos Eduardo Vieira Pinto Ribeiro.

3 - TÉCNICOS SUPERIORES DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA:
Júri:
Presidente: MAJ TS, José Meirinhos Fidalgo;
Vogais Efetivos:
1.º Vogal Efetivo: ALF TS, Flórido Joaquim Ferreira Pereira, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos;
2.º Vogal Efetivo: ASS HOSP, Fátima Maria Rodrigues Pinto Sousa;
Vogais Suplentes:
1.º Vogal Suplente: ASS GRAD, Joaquim António M Castanheira Abreu;
2.º Vogal Suplente: TECN PRINCIPAL, António Vasco Antunes Neves Oliveira.


4 - TÉCNICOS SUPERIORES DE SAÚDE:
Júri:
Presidente: TCOR SS/MED, António José dos Santos Moura;
Vogais Efetivos:
1.º Vogal Efetivo: MAJ SS/MED, Álvaro Miguel Beirão Loureiro, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos;
2.º Vogal Efetivo: ASS GRAD, Leonilde Maria Oliveira Coelho;
Vogais Suplentes:
1.º Vogal Suplente: MAJ SS/MED, Paula Neto Janeira;
2.º Vogal Suplente: SS GRAD, Joaquim António M Castanheira Abreu.

5 - ASSISTENTES OPERACIONAIS:
Júri:
Presidente: TCOR ADMIL, Carla Susana Torres Fernandes Ramos;
Vogais Efetivos:
1.º Vogal Efetivo: MAJ TS, António Manuel Almeida Moreira, que substitui o presidente nas suas faltas e impedimentos;
2.º Vogal Efetivo: MAJ TPESSECR, Jorge Manuel da Silva Ferreira;
Vogais Suplentes:
1.º Vogal Suplente: MAJ ADMIL, Raquel Sofia Moreira Tomé;
2.º Vogal Suplente: CAP INF, Leonel Carvalho Batista Nogueira.

14 Os candidatos serão notificados, preferencialmente, por via eletrónica, na impossibilidade, por uma das formas previstas no n.º 3 da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril.
15 A lista dos resultados obtidos será disponibilizada na página da Intranet do HFAR, e afixada no Serviço de Recursos Humanos do HFAR.
16 A lista unitária de ordenação final, após homologação, será disponibilizada na página da Intranet do HFAR, e afixada no Serviço de Recursos Humanos do HFAR.
17 Nos termos do n.º 4 do art.º 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso será publicado na Bolsa de Emprego Público (BEP).
A autorização dos membros do Governo referido no art.º 30. Da LTFP, foi DISPENSADA, nos termos do n.º 1 do art.º 9.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.
HFAR, 16 de março de 2018
O Chefe do Departamento de Recursos Humanos, João Manuel Sousa Cardoso Cachucho, Tenente-coronel.


Autorização dos membros do Governo Artigo 30.º da LTFP:
DISPENSADA, nos termos do n.º1 do artigo 9.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro