Ir para conteúdo principal
  
Registar Organismo
A carregar.
ver tudo

Código da Oferta:
OE202401/0799
Tipo Oferta:
Procedimento Concursal Comum
Estado:
Expirada estado
Nível Orgânico:
Ministério da Justiça
Vínculo:
CTFP por tempo indeterminado
Regime:
Carreiras Gerais
Carreira:
Técnico Superior
Categoria:
Técnico Superior
Grau de Complexidade:
3
Remuneração:
1.ª P.R da carreira de Técnico Superior, a que corresponde o nível 16 da TRU, € 1.385,99.
Suplemento Mensal:
0,00 EUR
Caracterização do Posto de Trabalho:
O posto de trabalho a ocupar corresponde ao exercício de funções, na categoria e na carreira de Técnico Superior, no Conselho Diretivo, com a seguinte caracterização – Assegura a organização do trabalho administrativo e gestão da agenda dos membros do CD; Apoia o Conselho Diretivo nas suas reuniões, preparando os despachos e toda a documentação necessária e elabora as respetivas atas; Procura e reúne informação relevante para suportar a tomada de decisão do CD, estudando os assuntos e mantendo-se atualizado sobre a evolução e tendências nacionais e internacionais nas áreas de Propriedade Industrial; Procede às pesquisas necessárias e solicita informação junto das unidades orgânicas do INPI ou de outras entidades para, em articulação com o CD, colaborar na redação dos discursos e em apresentações em suporte digital nas participações do CD nos diferentes eventos; Realização de quaisquer outras atividades inerentes à função, cuja complexidade do conteúdo funcional se encontra descrito no Anexo da LTFP, referido no n.º 2 do artigo 88.º daquele diploma.


Local TrabalhoNº PostosMoradaLocalidadeCódigo PostalDistritoConcelho
Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P.1Campo das CebolasLisboa1149035 LISBOALisboa Lisboa
Total Postos de Trabalho:
1
Observações:

Relação Jurídica Exigida:
CTFP por tempo indeterminado
Requisitos para a Constituição de Relação Jurídica :
a) Nacionalidade Portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei especial;
b) 18 anos de idade completos;
c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.
Requisitos de Nacionalidade:
Sim


Habilitação Literária:
Licenciatura
Descrição da Habilitação Literária:
Licenciatura
Grupo Área TemáticaSub-área TemáticaÁrea Temática
Área Temática IgnoradaÁrea Temática IgnoradaÁrea Temática Ignorada
Admissão de candidatos não titulares da habilitação exigida:
Não
Outros Requisitos:
Conhecimentos do Código da Propriedade Industrial; Conhecimentos de Técnicas de Assessoria; conhecimentos de comunicação Institucional; Conhecimentos de Protocolo e Relações Públicas; Conhecimentos de Inglês.
Envio de candidaturas para:
recrutamento@inpi.pt
Contatos:
recrutamento@inpi.pt
Data Publicitação:
2024-01-25
Data Limite:
2024-02-08

Jornal Oficial e Órgão de Comunicação Social:
Diário da República, 2ª série, n.º 18 , Aviso (extrato) n.º1843/2024, de 25 de janeiro
Descrição do Procedimento:
Procedimento concursal comum destinado ao recrutamento para preenchimento de 1 (um) posto de trabalho previsto, e não ocupado, no mapa de pessoal do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P., correspondente à carreira e categoria de Técnico Superior na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

1. Nos termos do disposto nos artigos 30.º e 33.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na redação atual e no artigo 11.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, faz-se público que, autorizado por deliberação do Conselho Diretivo de 15 de dezembro de 2023, se encontra aberto pelo prazo de dez dias úteis, a contar da data da publicação do presente aviso, procedimento concursal comum, com vista ao preenchimento de 1 (um) posto de trabalho previsto e não ocupado do mapa de pessoal do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, na carreira e categoria de Técnico Superior, para a constituição do vínculo de emprego público, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

2. Em cumprimento da alínea h) do artigo 9.º da Constituição, a Administração Pública, enquanto empregador público, promove ativamente uma política de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação (Despacho conjunto n.º 373/2000, publicado no Diário da República, II série, n.º 77, de 31 de março de 2000).

3. De acordo com o preceituado no n.º 3 do artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 29/2001, de 3 de fevereiro, nos concursos em que o número de lugares a preencher seja de um ou dois, o candidato com deficiência tem preferência em igualdade de classificação, a qual prevalece sobre qualquer outra preferência legal.

4. Procedimento prévio de recrutamento – Em cumprimento do disposto no artigo 34.º da Lei n.º 25/2017, de 30 de maio e do artigo 4.º da Portaria n.º 48/2014, de 26 de fevereiro, procedeu-se à realização do procedimento prévio junto da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), tendo sido declarada a inexistência de trabalhadores em situação de valorização profissional, cujo perfil se adequasse às características do posto de trabalho em causa.
Para efeitos do estipulado no n.º 5 do artigo 5.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, procedeu-se também à consulta prévia junto da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), tendo sido confirmada a inexistência de reservas de recrutamento constituídas pela Entidade de Recrutamento Centralizado (ERC).

5. Legislação aplicável – O presente procedimento concursal regula-se designadamente pelos seguintes diplomas: Constituição da República Portuguesa, Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na redação atual, Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro e Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro, na redação atual.

6. Prazo de validade – O procedimento concursal é válido para o recrutamento com vista ao preenchimento do posto de trabalho a ocupar e para os efeitos do previsto nos termos dos n.ºs 5 e 6 do artigo 25.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, sendo nomeadamente válido para a ocupação de idênticos postos de trabalho a ocorrer no prazo máximo de 18 meses contados da data de homologação da lista de ordenação final do presente procedimento (reserva de recrutamento interna).

7. Nos termos do disposto no n.º 1 do artigo 11.º da Portaria n.º 233/2022 de 09 de setembro, o presente aviso é publicitado por extrato na 2.ª série do Diário da República e na página eletrónica do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P., bem como na Bolsa de Emprego Público.

8. Identificação dos postos de trabalho e da modalidade do vínculo de emprego público – O procedimento concursal visa a ocupação de 1 (um) posto de trabalho, na carreira e categoria de técnico superior, previsto e não ocupado no mapa de pessoal do INPI, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

9. Identificação do local de trabalho – As funções serão exercidas nas instalações do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P, sito no Campo das Cebolas, s/n, 1149-035, em Lisboa.

10. Caracterização dos postos de trabalho – Em conformidade com o estabelecido no mapa de pessoal aprovado do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P., o posto de trabalho a ocupar correspondem ao exercício de funções, na categoria e na carreira de Técnico Superior, no Conselho Diretivo, com a seguinte caracterização – Assegura a organização do trabalho administrativo e gestão da agenda dos membros do CD; Apoia o Conselho Diretivo nas suas reuniões, preparando os despachos e toda a documentação necessária e elabora as respetivas atas; Procura e reúne informação relevante para suportar a tomada de decisão do CD, estudando os assuntos e mantendo-se atualizado sobre a evolução e tendências nacionais e internacionais nas áreas de Propriedade Industrial; Procede às pesquisas necessárias e solicita informação junto das unidades orgânicas do INPI ou de outras entidades para, em articulação com o CD, colaborar na redação dos discursos e em apresentações em suporte digital nas participações do CD nos diferentes eventos; Realização de quaisquer outras atividades inerentes à função, cuja complexidade do conteúdo funcional se encontra descrito no Anexo da LTFP, referido no n.º 2 do artigo 88.º daquele diploma.

11. Posicionamento remuneratório – Tem como referência a 1.ª posição remuneratória da carreira e categoria de Técnico Superior, a que corresponde o nível 16 da tabela remuneratória única, com o valor de € 1.385,99.

12. Requisitos de admissão – Os candidatos devem reunir os requisitos de admissão, gerais e outros, até ao último dia do prazo de candidatura ao procedimento concursal.
12.1. Requisitos gerais – Nos termos do artigo 17.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na redação atual, são requisitos de admissão os seguintes:

a) Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, por convenção internacional ou por lei especial;
b) 18 anos de idade completos;
c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
e) e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.
12.2. Âmbito do recrutamento – O recrutamento é restrito a trabalhadores previamente detentores de vínculo de emprego público por tempo indeterminado, de acordo com o n.º 3 do artigo 30.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na redação atual.
12.3. Nível habilitacional exigido – Estar habilitado com o grau académico de licenciatura.
12.4. Não são admitidos candidatos detentores de formação ou experiência profissional substitutiva do nível habilitacional exigido.
12.5. Outros requisitos – Constituem condições preferenciais ter conhecimentos do Código da Propriedade Industrial, conhecimentos de Técnicas de Assessoria, conhecimentos de comunicação Institucional, conhecimentos de Protocolo e Relações Públicas e conhecimentos de Inglês.
12.6. Não podem ser admitidos candidatos que, cumulativamente, se encontrem integrados na carreira, sejam titulares da categoria e, não se encontrando em mobilidade, ocupem postos de trabalho previstos no mapa de pessoal do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P. idênticos aos postos de trabalho para cuja ocupação se publicita o presente procedimento concursal comum, de acordo com o disposto na alínea k) do n.º 3 do artigo 11.º da Portaria n.º 233/2022, de 9 de setembro, na redação atual.

13. Forma de apresentação da candidatura:
13.1. A candidatura deverá ser apresentada, através do preenchimento de formulário tipo, de utilização obrigatória, disponível na página eletrónica do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P. - https://inpi.justica.gov.pt/Sobre-o-INPI/Recrutamento - que, sob pena de exclusão, deverá ser devidamente preenchido e assinado de acordo com o estabelecido no artigo 13.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, dela devendo constar, designadamente, os seguintes elementos:
a) Identificação do procedimento concursal, com indicação da carreira, categoria e atividade caracterizadoras do posto de trabalho a ocupar;
b) Identificação da entidade que realiza o procedimento;
c) Identificação do (a) candidato(a) pelo nome, data de nascimento, sexo, nacionalidade, número de identificação fiscal, número de telefone e endereço postal e eletrónico, caso exista;
d) Situação perante os requisitos de admissão exigidos e previstos no artigo 17.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na redação atual;
e) Identificação do vínculo de emprego público detido, bem como da carreira e categoria de que seja titular, da atividade que executa e do órgão ou serviço onde exerce funções;
f) Nível habilitacional e área de formação académica ou profissional;
g) Quaisquer outros elementos que o(a) candidato(a) entenda dever apresentar por os considerar relevantes para a apreciação do seu mérito ou por constituírem motivo de preferência legal, os quais só poderão ser tidos em conta pelo júri se devidamente comprovados;
h) Menção de que o(a) candidato(a) declara serem verdadeiros os factos constantes da candidatura;
i) Local, data e assinatura.
13.2. A candidatura deverá ainda ser acompanhada dos seguintes documentos:
a) Curriculum vitae atualizado, detalhado, datado e assinado pelo(a) candidato(a), onde constem nomeadamente as funções que exerce e as que desempenhou anteriormente e correspondentes períodos, bem como a formação profissional detida, referindo as ações de formação finalizadas;
b) Documentos comprovativos das habilitações literárias;
c) Documentos comprovativos das ações de formação frequentadas, com indicação da entidade que as promoveu, período em que as mesmas decorreram e respetiva duração;
d) Declaração emitida pelo serviço onde o(a) candidato(a) exerce funções ou a que pertence, devidamente atualizada à data do presente aviso e autenticada, da qual conste, de maneira inequívoca, o vínculo de emprego público e a antiguidade na categoria, na carreira e na Administração Pública, a posição remuneratória que detém, a descrição detalhada das tarefas e responsabilidades inerentes ao posto de trabalho ocupado pelo(a) candidato(a), com vista à apreciação do conteúdo funcional, e complementada com informação referente à avaliação do desempenho relativa aos últimos dois ciclos avaliativos;
e) Declaração de consentimento no que se refere ao uso do endereço de correio eletrónico constante do formulário de candidatura, para efeitos dos artigos 63.º e 112.º do Código do Procedimento Administrativo;
f) Quaisquer outros documentos que o(a) candidato(a) considere relevantes para a apreciação do seu mérito.
13.3. Nos termos do disposto no Decreto-Lei n.º 29/2001, de 3 de fevereiro, e para efeitos de admissão ao procedimento concursal, os candidatos portadores de deficiência devem declarar, no formulário de candidatura, sob compromisso de honra, o respetivo grau de incapacidade, o tipo de deficiência e os meios de comunicação/expressão a utilizar no processo de seleção, nos termos do diploma mencionado.
13.4. O envio da candidatura, acompanhada dos respetivos documentos, deverá ser remetida, preferencialmente, por correio eletrónico, para o endereço recrutamento@inpi.pt, com a indicação em assunto do número do código da oferta BEP, ou, caso não seja possível, apresentada pessoalmente, das 09h:00m às 16h:30m, no Instituto da Propriedade Industrial, I.P., sita no Campo das Cebolas, s/n, 1149-035 Lisboa, ou ainda, através de correio registado, com aviso de receção, para aquele endereço postal, devendo a sua expedição ocorrer até ao termo do prazo fixado para entrega das candidaturas, findo o qual não serão as mesmas consideradas.

14. Prazo de apresentação da candidatura – A candidatura deverá ser apresentada no prazo de 10 dias úteis, contados da data de publicitação do presente aviso.

15. O não preenchimento ou o preenchimento incorreto por parte do(a) candidato(a) dos elementos constantes do formulário obrigatório de candidatura, bem como a não apresentação dos documentos a que se referem as alíneas a), b) e d) do ponto 13.2, dentro do prazo para entrega das candidaturas, determinam a exclusão do procedimento concursal, nos termos da alínea a) do n.º 5 do artigo 15.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro.

16. A não apresentação dos documentos comprovativos a que se referem as alíneas c) e f) do ponto 13.2, dentro do prazo para entrega das candidaturas, determina a sua não consideração para efeitos de avaliação curricular.

17. Assiste ao júri a faculdade de exigir aos candidatos, em caso de dúvida, a apresentação de documentos comprovativos das suas declarações, bem como a apresentação de documentos comprovativos de factos referidos no currículo que possam relevar para apreciação do seu mérito e que se encontrem deficientemente comprovados.

18. As falsas declarações serão punidas nos termos da lei.

19. Métodos de seleção – Será utilizada a faculdade conferida pelo n.º 5 do artigo 36.º da LTFP, em conjugação com as alíneas a) e c) do n.º 1 do artigo 17º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, que permite a utilização de um único método de seleção obrigatório, consoante os casos previstos, respetivamente, no n.º 1 e no n.º 2 do referido artigo 36.º, ou seja:
a) Prova de Conhecimentos;
b) Avaliação Curricular, para os candidatos que estejam a cumprir ou a desempenhar na categoria (ou o tenham feito imediatamente antes da situação de valorização profissional) a atribuição, competência ou atividade caracterizadoras do posto de trabalho, exceto quando afastado por escrito nos devidos termos legais, aquando da formalização da candidatura, circunstância em que se aplicará a prova de conhecimentos como método obrigatório.

19.1. Nos termos do disposto no n.º 2 do artigo 18.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, é utilizada a Entrevista de Avaliação de Competências, como método de seleção facultativo.
19.2. As ponderações a utilizar para cada método de seleção são as seguintes:
a) Prova de Conhecimentos ou Avaliação Curricular – 70%;
b) Entrevista Profissional de Seleção – 30%.

20. Prova de Conhecimentos – Esta prova visa avaliar os conhecimentos académicos e ou profissionais e a capacidade para aplicar os mesmos a situações concretas no exercício das funções descritas no ponto 10, incluindo o adequado conhecimento da língua portuguesa.
A prova de conhecimentos irá assumir a forma escrita, com consulta apenas de legislação, revestindo natureza teórica, de realização individual e será efetuada em suporte papel, com a duração de 30 minutos, com 10 minutos de tolerância, para a qual se indicam respetivamente os seguintes temas gerais e específicos, bem como a bibliografia ou a legislação necessária à preparação daquela prova:

Temas gerais e específicos - Constituição da República portuguesa: Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas e Código do Trabalho; Código do Procedimento Administrativo; Orgânica do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P., Estatutos do INPI; Lei Orgânica do Ministério da Justiça, estrutura nuclear e flexível do INPI, I.P; Lei do Estatuto do Pessoal Dirigente.

A bibliografia ou legislação necessárias à preparação dos temas gerais e específicos (nas suas atuais redações): Lei n.º 35/2014, de 20 de junho - Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas; Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro - Código do Trabalho; Decreto-Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro que aprova o Código do Procedimento Administrativo; Despacho n.º 2961/2013, de 25 de fevereiro que aprova as Unidades orgânicas flexíveis do INPI,I.P.; Decreto-Lei n.º 147/2012,de 12 de julho, que aprova a Orgânica do INPI,I.P., Decreto-Lei n.º 123/2011, de 29 de dezembro, na sua última redação que aprova Lei Orgânica do Ministério da Justiça; Estatutos do INPI,I.P., aprovados pela Portaria n.º 326/2019, de 23 de setembro; Lei n.º 2/2004, de 15 de janeiro, que aprova o estatuto do Pessoal Dirigente.

Na prova de conhecimentos é adotada a escala de 0 a 20 valores, considerando-se a valoração até às centésimas.

21. Avaliação Curricular – Esta avaliação, incidente especialmente sobre as funções desempenhadas na categoria, visa aferir os elementos de maior relevância para o posto de trabalho a ocupar, entre os quais a habilitação académica, a formação profissional, a experiência profissional e a avaliação de desempenho.
A Avaliação Curricular (AC), será expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às centésimas, conforme n.º 1 do artigo 21.º da Portaria n.º 232/2022, de 9 de setembro.

22. Entrevista de Avaliação de Competências – Esta entrevista visa obter informações sobre comportamentos profissionais diretamente relacionados com as competências consideradas essenciais para o exercício da função.
A Entrevista de avaliação de Competências é avaliada segundo os níveis classificativos de Elevado, Bom, Suficiente, Reduzido e Insuficiente, aos quais correspondem, respetivamente, as classificações de 20, 15, 10, 5 e 0 valores.

23. Sistema de valoração final – Para efeitos de ordenação final dos candidatos, a classificação final será obtida numa escala de 0 a 20 valores, através da fórmula a seguir indicada: CF = (0,70 x PC) +( 0,30 x EAC) ou (0,70 x AC) + (0,30 x EAC) em que: CF = Classificação Final; PC =Prova de Conhecimentos AC = Avaliação Curricular; EAC = Entrevista de Avaliação de Competências.

24. Em caso de igualdade de valoração, serão adotados os critérios de ordenação preferencial previstos no n.º 2 do artigo 24.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro.

25. Nos termos da alínea a) do n.º 4 do artigo 21º da Portaria n.º 233/2022 de 09 de setembro, é excluído do presente procedimento concursal o candidato que tenha obtido uma valoração inferior a 9,5 num dos métodos de seleção, não lhe sendo aplicado o método seguinte.

26. Motivos de exclusão – São, designadamente, motivos de exclusão do presente procedimento concursal a apresentação da candidatura fora do prazo e o incumprimento dos requisitos mencionados neste aviso, sem prejuízo dos demais motivos legais ou regulamentarmente previstos.

27. Júri – O júri do presente procedimento concursal tem a seguinte composição: Presidente – Maria Fernanda Pimenta, Diretora de Organização e Gestão; 1.º Vogal efetivo - Maria João Malheiro Gonçalves Duarte Marques, Chefe do Departamento de Recursos Humanos e de Apoio ao Cliente; 2.º Vogal efetivo – Beatriz de Almeida Dias, Técnica Superior do Departamento de Recursos Humanos e de Apoio ao Cliente; 1.º Vogal suplente – João Carlos Cabrita, Técnico Superior do Departamento de Recursos Humanos e de Apoio ao Cliente; 2.º Vogal suplente – Maria Antónia Quintela, Técnica Superior do Departamento de Recursos Humanos e de Apoio ao Cliente. A presidente do júri será substituída nas suas faltas e impedimentos pela 1.ª vogal efetiva.

28. Nos termos do n.º 5 do artigo 11.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, as atas do júri, onde constam os parâmetros de avaliação e respetiva ponderação de cada um dos métodos de seleção a utilizar, a grelha classificativa e o sistema de valoração final do método, serão publicitados na página eletrónica do INPI, I.P.

29. Exclusão e notificação de candidatos – De acordo com o preceituado no n.º 4 do artigo 16.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro, os candidatos excluídos serão notificados para a realização da audiência prévia nos termos do Código do Procedimento Administrativo.

30. No âmbito do exercício do direito de audiência dos interessados, os candidatos utilizam o formulário tipo, de utilização obrigatória, disponível na página eletrónica do INPI, I.P. em https://inpi.justica.gov.pt/Sobre-o-INPI/Recrutamento.

31. Os candidatos admitidos serão convocados para a realização dos métodos de seleção nos termos previstos no artigo 16.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro.

32. Publicitação dos resultados – A publicitação dos resultados obtidos em cada método de seleção intercalar é efetuada através de lista, ordenada alfabeticamente, afixada em local visível e público das instalações do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P. e disponibilizada na página eletrónica (https://inpi.justica.gov.pt/Sobre-o-INPI/Recrutamento).

33. Notificação da lista unitária de ordenação final – A ordenação final dos candidatos é unitária, ainda que lhes tenham sido aplicados métodos de seleção diferentes. A lista de ordenação final dos candidatos aprovados é notificada, para a realização da audiência dos interessados, nos termos do n.º 3 do artigo 25.º da Portaria n.º 233/2022, de 09 de setembro.

34. Publicação da lista unitária de ordenação final – A lista unitária de ordenação final, após homologação, é afixada em local visível e público das instalações do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P. e disponibilizada na sua página eletrónica, sendo ainda publicado um aviso na 2.ª série do Diário da República com informação sobre a sua publicitação, sendo os candidatos, incluindo os que tenham sido excluídos no decurso da aplicação dos métodos de seleção, notificados do ato da homologação daquela lista.

35. O endereço de correio eletrónico a considerar para efeitos de convocatória e/ou notificação dos candidatos é o que consta no formulário de candidatura.

36. Proteção de dados pessoais: O Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I.P. irá tratar os dados pessoais dos candidatos/as, em conformidade com o Regulamento de Proteção de Dados (EU) 2016/679, e na medida do adequado, pertinente e limitado ao que for necessário no âmbito do presente procedimento concursal.